23/05/2012

O nascimento!

Olá,a todos estou muito contente o mue afilhado já nasceu...
Foi no passado domingo,as 21h em luanda,ele é um bebé saudavel...
Jeciley Junior

14/05/2012

Especiarias e Ervas Arómaticas.


Um bocado que eu sei das ervas arómaticas para voces.

As ervas aromáticas transformam positivamente os alimentos, e algumas combinações parecem ter nascido para ser mesmo utilizadas: manjericão com tomate, estragão com frango, o tomilho e o alecrim com borrego, e os orégãos com queijo e ovos.Todavia, as combinações não deverão ser obrigatórias; o que é excitante na cozinha é o facto de haver sempre um grande âmbito para novas experiências e para a possibilidade de novas e bem sucedidas misturas de sabores. 

 

As ervas aromáticas deverão ser utilizadas frescas, sempre que possível, sendo os orégãos a única excepção, visto que, por qualquer motivo, têm um aroma ainda melhor depois de secos. 

A maior parte das ervas pode ser facilmente cultivada.

 

O tomilho pode ser tão bom fresco como seco, desde que tenha sido seco há pouco tempo.

 

Sendo actualmente tão fácil obter ervas frescas durante todo o ano, é curioso lembrarmo-nos de que, ainda há pouco tempo, só se conseguiam comprar pequenas embalagens com uma curta variedade de ervas secas. De qualquer forma, muitas das ervas tenras, como o manjericão e a salsa, perdem por completo as suas características quando secas; se tiver grande abundância delas e as quiser conservar, poderá congelar pequenas quantidades em cubos de gelo ou, melhor ainda, conservá-las em azeite, dentro de boiões bem vedados. Assim, depois de ter usado as ervas, o azeite aromatizado poderá ser utilizado para temperar saladas.


Nada se compara à fragrância das ervas frescas em saladas ou espalhadas sobre legumes cozidos e as que têm folhas de belos formatos são excelentes para enfeitar um prato ou decorá-lo. Havendo ervas frescas em casa, não existe a preocupação de o prato ter um aspecto descolorido: desde que o gosto-base da comida seja bom, pode-se melhorar rapidamente o aspecto do prato com algumas ervas, Mesmo os melhores estufados, guisados ou sopas tornam-se mais apetitosos se se espalharem sobre eles ervas picadas, no último momento; são elas também que tornam diferentes os caldos e os molhos

  

Aconselho vivamente o uso das especiarias ervas aromaticas na sua comida pois elas enriquecem o sabor dos alimentos, pelo estiveram desde sempre ligadas à arte da culinária. As ervas aromáticas são folhas de plantas frescas ou secas, enquanto que as especiarias são as partes aromáticas: rebentos, frutos, bagas, raízes ou cascas normalmente secas, provenientes de plantas oriundas das regiões tropicais.


13/05/2012

Sangria

História:

A sangria é uma bebida ou coquetel feita com base numa mistura de vinho tinto ou vinho branco, sumo de fruta, pedaços de frutos e açúcar. Pode levar outras bebidas como aguardente (cachaça, no Brasil). Deve beber-se bem fresca e com cubos de gelo.
Em Portugal tradicionalmente adicionam-se especiarias (pau de canela) e ervas aromáticas frescas (hortelã).


 Ingredientes

1 litro vinho tinto.
2 rodelas de limão.
3 folha hortelã.
3 c. sopa conhaque ou cachaça.
1 chávena licor de laranja.
1 laranja (em cubos).
3 maçãs verdes (em cubos).
6 morangos.
1 pêssego (aos cubos).
2 paus de canela.
1 garrafa de 7up (pequena) ou água tónica ou agua com gás.
3 Colher . Sopa açúcar amarelo.

Modo de preparação:

Num copo grande dissolva o açúcar num pouco de vinho. Quando o açúcar estiver completamente dissolvido transfira a mistura para um jarro e junte o vinho, o licor, o conhaque e a 7up.

Mexa ligeiramente e adicione as frutas em cubos. Quanto mais pequenos forem mais saborosa ficará a sangria. Acrescente então o limão, a hortelã e os paus de canela. Deixe repousar durante 1 hora e sirva bem gelada.

Recomendações:
Sirva em jantares,festas e baptismo.
Pode acrescentar outras frutas tais como pessego,seja criativo/a.
!!!Espero que gostem!!!

12/05/2012

Diabetes

O que é Diabetes?

O Diabetes é uma síndrome metabólica de origem múltipla, decorrente da falta de insulina e/ou da incapacidade de a insulina exercer adequadamente seus efeitos. A insulina é produzida pelo pâncreas e é responsável pela manutenção do metabolismo da glicose. A falta desse hormônio provoca déficit na metabolização da glicose e, consequentemente, diabetes. Caracteriza-se por altas taxas de açúcar no sangue (hiperglicemia) de forma permanente.

Tipos

Tipo 1: causado pela destruição das células produtoras de insulina, em decorrência de defeito do sistema imunológico em que os anticorpos atacam as células que produzem a esse hormônio. Ocorre em cerca de 5 a 10% dos pacientes com diabetes.

Tipo 2: resulta da resistência à insulina e de deficiência na secreção de insulina. Ocorre em cerca de 90% dos pacientes com diabetes.

Diabetes Gestacional: é a diminuição da tolerância à glicose, diagnosticada pela primeira vez na gestação, podendo - ou não - persistir após o parto. Sua causa exata ainda não é conhecida.

Outros tipos: são decorrentes de defeitos genéticos associados a outras doenças ou ao uso de medicamentos. Podem ser: defeitos genéticos da função da célula beta; defeitos genéticos na ação da insulina; doenças do pâncreas exócrino (pancreatite, neoplasia, hemocromatose, fibrose cística etc.); defeitos induzidos por drogas ou produtos químicos (diuréticos, corticoides, betabloqueadores, contraceptivos etc.).

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...